Olá concurseiros! Como estão os estudos? Você já deve ter percebido que existem diversas maneiras e técnicas para se estudar e extrair o melhor para as provas. Você já se perguntou se a maneira como você tem estudado é realmente a mais indicada ou adequada?

Você deve realmente dar a devida importância para essa questão uma vez que ao utilizar uma técnica não muito eficiente nos seus estudos, os resultados finais podem não ser aquela que você esperava. Muitos concurseiros são reprovados porque usam métodos para estudo ineficientes.

Vários estudos já foram feitos em torno desse tema, e um estudo em particular foi Coordenado pelo professor John Dunlosky, do Departamento de Psicologia da Kent State University, o trabalho envolveu pesquisadores das universidades Duke, Wisconsin-Madison e da Virgínia, e esses estudos apontam quais técnicas ou métodos de estudos são mais eficazes. Vamos conhece-los?

1 – Fazer Resumos

resumos

Essa é uma técnica das mais utilizadas por estudantes em geral, que consiste em produzir um novo texto mais resumido a partir de um texto maior. Bons resumos capturam a ideia central de um tema e seus pontos mais importantes.

Avaliação: Essa técnica foi considera como sendo de baixa utilidade em relação as outras estratégias e técnicas que existem. Essa técnica, segundo os pesquisadores, pode ser uma boa opção para ser usada nos estudos desde que você já domine o processo de fazer resumos. 

2 – Destacar ou sublinhar textos

sublinhar

Essa estratégia é muito utilizada por diversos alunos e você inclusive certamente já deve ter sublinhado um texto ou parte dele que tenha achado interessante ou relevante para seus estudos.

Avaliação: Essa técnica foi considera como sendo de baixa utilidade pois na maior parte das situações examinadas, destacar trechos melhora muito pouco a performance. Pode até ajudar em textos difíceis, contudo, pode atrapalhar a compreensão para tarefas que exigem que os estudantes façam inferências.

3 – Releitura

releitura

Fazer a releitura de um texto, resumo ou parágrafo é um dos métodos mais utilizados pelos estudantes e concurseiros em geral.

Avaliação: Essa técnica foi considera como sendo de baixa utilidade, embora os benefícios da releitura tenham sido demonstrados para uma vasta gama de materiais, quase não há pesquisas envolvendo estudantes em idade escolar. A maioria dos efeitos foram detectados em medições de memória, ao passo que o benefício para a compreensão é menos verificável.

4 – Questionamentos Elaborativos

questionamentos

Questionar algum ponto de específico da matéria estudada instiga estudantes a gerar uma explicação para um fato. Buscar respostas para questões como “por que isso faz sentido?”, “por que é verdade?” ou simplesmente “por quê?”

Avaliação: Essa técnica foi considera como sendo de utilidade moderada, os benefícios da técnica são mais limitados conforme os níveis de conhecimento dos alunos. Estudantes jovens ou com pouca noção do tema estudado tendem a ter algumas dificuldades para elaborar explicações. Além disso, a técnica é mais indicada para se trabalhar com assuntos factuais, sendo menos útil em tópicos complexos.

5 – Elaborar Explicação Própria

mania-de-explicacao

Exige que os estudantes reflitam sobre como uma nova informação está relacionada com uma informação que já conhecia ou que expliquem as medidas tomadas durante a resolução de determinados problemas.

Avaliação: Essa técnica foi considera como sendo de utilidade moderada, um fator positivo é que os efeitos desta técnica já foram demonstrados com conteúdos diferentes. Contudo, ainda são necessárias novas pesquisas para estabelecer até que ponto estes efeitos não se devem ao nível de conhecimento dos estudantes.

6 – Testes Práticos

teste-pratico

Visto como “mal necessário” por muitos estudantes, afinal, costumam ser aplicados como meio de avaliar a aprendizagem. Esta visão, contudo, é inadequada, pois os testes também melhoram a aprendizagem.

Avaliação: Essa técnica foi considera como sendo de utilidade Alta, os efeitos dos testes foram demonstrados em grande escala em diversos formatos, tipos de material e faixas etárias. Por isso, testes práticos têm ampla aplicabilidade. Comparado a outras técnicas, não toma muito tempo e pode ser implementado depois de pouco treino.

7 – Estudo Distribuído

Estudantes tendem a revisar conteúdos às vésperas das provas, crendo que a estratégia seja eficaz. Embora seja melhor do que nada, o resultado é mais positivo quando a mesma quantidade de tempo gasto em um “mutirão de última hora” é distribuída ao longo de um período. O benefício de retenção dos conteúdos em longo prazo é maior.

Avaliação: Essa técnica foi considera como sendo de utilidade Alta, funciona com estudantes de idades diferentes, com grande variedade de conteúdos, mesmo depois de grandes intervalos. É fácil de implementar, embora exija algum treinamento. Pesquisas sugerem que o estudo distribuído também funciona com conteúdos complexos.

Conclusão:

Conhecer cientificamente a eficiência de cada técnica de estudo vai te proporcionar um conhecimento sobre a melhor maneira de se estudar para os concursos.

Ao elaborar seu plano de estudos e cronograma leve sempre em consideração o potencial de cada técnica de estudo e faça combinações que potencializem seu aprendizado e preparação.

Um forte abraço!

Written by Elmar Ricardo
Elmar Ricardo é um empreendedor digital que se dedica a ajudar várias pessoas de segmentos distintos. Nesse trabalho sua proposta é ajudar a todos que tem o sonho da estabilidade de um emprego público e estão lutando para realizar esse sonho.